Presa do Padre Pedro

segunda-feira, maio 02, 2005

[Os amigos, 3]

Combarro: o tempo que às vezes estamos
sem escrever uma palavra, sem a recordar nas suas sílabas
ásperas, de terra que se transforma
para nos proteger da tempestade ou da luz imensa
de Julho: e depois é assim, ela regressa
de súbito com a memória dos amigos que fomos perdendo
no mundo e um dia se acolheram a esta mesma defesa,
e a essa sombra juraram regressar antes da neve,
antes da última folha das tílias
apodrecer no tanque
sem água. Regressamos, sim, mas à vez,
perdidos em nós mesmos, sem saber o que fazer
de tanta coisa que era suposto
dar-nos abrigo e protecção.

3 Comments:

  • comba s.f. GEOMORF 1 vale entre montes 2 suave flexão ascendente ou descendente da crosta terrestre

    (Combarro abrigado na barraca das palavras)

    By Anonymous Anônimo, at 11:19 PM  

  • Meu Caro: «Combarro» é um termo regional, e significa «alpendre». Mas gosto desta ideia de «comba», de «vale entre montes».

    By Blogger PadrePedro, at 11:14 AM  

  • Um belo poema, com esta nostalgia que transporto aos ombros desde que, um dia, antes dos vinte anos, me encontrei com as novelas de Pavese e disse "este que escreve assim 'sou eu' ". Nunca mais me largou aquela luz difusa que neste poema, por caminhos de certeza muito diversos, se reflecte num espelho de água. Uma poesia segura que já tinha, naturalmente, descoberto com este meu faro que me torna - dizem - um esquisito. Mas nunca foi exagero gostar de coisas boas se estivermos habituados a elas. É a tal questão falaz do gostas tu, mas não gosto eu. E esses que assim falam não sabem que a junça é o que melhor prolifera, isto dito com ironia ou mesmo sarcasmo, que há quem o diga apenas por azedume de dor de cotovelo, para não usar eufemismos a que sou avesso (talvez de mais). Um abraço.

    By Anonymous Musas Esqueléticas, at 4:21 PM  

Postar um comentário

<< Home